segunda-feira, 11 de junho de 2012

A Queda do Império Romano

Produção: Uma das mais ricas que já vi. Na época não existia possibilidade de fazer nada virtual, tudo tinha que realmente existir. Assim tudo o que se vê na tela é real (e impressiona). São multidões de figurantes (acredito que seja o filme com o maior número de figurantes da história), cenários maravilhosos, figurinos deslumbrantes e tudo o que não poderia faltar em um filme épico como esse. Como produção o filme é realmente nota 10.

Direção: Acredito que o diretor Anthony Mann se perdeu com o tamanho da produção. O filme tem três horas de duração mas o enredo fica disperso, sem foco. Mesmo com todo esse tempo ele não conseguiu contar direito a história. Em muitos momentos se percebe que a direção está mais preocupada em explorar os cenários luxuosos do que investir nos personagens do filme. Na minha opinião esse é o típico caso em que a direção foi engolida pela produção do filme.

Elenco: Tem altos e baixos. Entre as interpretações de grande categoria o filme traz Alec Guiness perfeito na pele do Imperador Marco Aurélio. Suas cenas são excelentes, inclusive um inspirado monólogo de grande impacto. Christopher Plummer como o Imperador Comodus também está acima da média. Já do lado ruim no quesito de elenco temos uma Sophia Loren muito bonita mas canastrona até o último fio de cabelo encaracolado e um Livius (o mocinho do filme) muito xoxo interpretado por Stephen Boyd. Ele é tão sem graça que quase coloca todo o filme a perder. E pensar que esse papel seria do Charlton Heston.

Roteiro: Toma grandes liberdades com a história real dos Imperadores retratados no filme. Certamente não é historicamente correto e acredito inclusive que essa nunca foi a intenção dos roteiristas. De qualquer forma consegue, aos trancos e barrancos, prender a atenção do espectador.

A Queda do Império Romano (The Fall of the Roman Empire, EUA, 1964) / Direção de Anthony Mann / Com Alec Guiness, Sophia Loren, Christopher Plummer, Omar Sharif, James Mason e Stephen Boyd / Sinopse: Maior império que o mundo já conheceu o Império Romano começa a entrar em colapso por causa de problemas internos ao qual o filme explora muito bem: corrupção, brigas internas, politicagem e um Imperador frívolo que negligencia a administração do Império em razão de sua obsessão por lutas de gladiadores.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

3 comentários:

  1. Olá, eu vi ontem a noite esse filme, comprei alias, em DVD, e também achei muito rico o cenário, mostra bem o " deslumbramento" que os romanos tinham, inclusive com as artes esculpidas, que tiraram com os gregos, a questão cultural é do grego, tanto que, o único "filosofo" que aparece ali defendendo causas "humanitárias" é um grego, muito bem colocado, e.. assim, um pouco confuso em relação do que aconteceu de fato com o imperador Marcus Aurelius, daí precisa mesmo ler alguns livros mais "autênticos" e fazer a comparação com o filme, porque para quem não tem um conhecimento por trás da história romana, fica vago o que o filme quer mostrar.. mas adorei o filme, excelente, eee para os padrões da época, é um cenário muito rico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom Chére.
      Realmente esse é um dos grandes clássicos épicos da história de Hollywood. Um filme realmente maravilhoso.

      Excluir
  2. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★★
    Produção: ★★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.8

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir