segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Rock Hudson e a nova era do cinema

Por volta da segunda metade da década de 60 o cinema americano começou a mudar. A contracultura, a geração hippie e os novos valores mudaram completamente os paradigmas que tinham sido a base da indústria do cinema por décadas. De repente o público passou a exigir uma nova postura dos roteiros e dos próprios atores em si. Galãs como Rock Hudson, que mais pareciam príncipes encantados montados em cavalos brancos, começaram a sair de moda. O público agora estava começando a prestar a atenção em uma nova geração de atores que representavam homens comuns, com todos os problemas inerentes ao dia a dia, ao cotidiano. Novos astros surgiam como Al Pacino, Robert De Niro e Dustin Hoffman. Nenhum deles era exemplo de beleza masculina e nem lembravam em nada os antigos galãs ao velho estilo como Rock Hudson. O ator percebeu o que estava acontecendo ao seu redor. Aos mais próximos comentava estar surpreso ao ver o sucesso dessa nova geração que surgia chegando ao ponto de chamar todos eles de "monstrinhos" pois não eram nenhum exemplo de boa imagem - Pacino, por exemplo, mais parecia um pasteleiro de Nova Iorque.

De uma forma ou outra o cinema havia mudado e Rock não fazia mais parte dessa nova revolução no modo de atuar e interpretar. Suas últimas comédias românticas não faziam mais sucesso e seu contrato com a Universal chegou ao fim. Rock nasceu dentro do estúdio, foi lapidado e criado dentro dos corredores da grande empresa mas agora a Universal ja não tinha mais interesse nele como profissional. De repente Rock se viu na condição de free lancer, algo que lhe apavorava pois sempre contou com a infraestrutura de seu estúdio para resolver tudo. Com as malas na mão o antigo astro de repente se viu sem ter para onde ir. Nesse momento crucial de sua carreira ele finalmente resolveu mudar de agente. Despediu Henry Wilson, seu empresário desde os primeiros filmes, e partiu para outra. Outro problema é que apesar de toda a discrição em sua vida pessoal os boatos de que era gay começavam a ficar mais fortes. Um dos mais persistentes afirmava que ele havia se casado com um apresentador de TV famoso. No meio de tantos problemas Rock acabou sendo salvo pela televisão. Sem espaço no cinema ele acabou indo para a série "McMillian e Esposa" que logo se tornou um grande sucesso de audiência. Rock aproveitou o que tinha ao alcance da mão mas odiava com todas as forças o novo meio onde trabalhava. De fato apenas depois quando começou a ir para o teatro é que readquiriu o gosto por seu trabalho. O mundo havia mudado e para sobreviver é preciso mudar, evoluir, uma lição que Rock Hudson aprendeu do jeito mais duro.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu. 

Um comentário: