quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Fragments Marilyn Monroe

Quando morreu Marilyn Monroe deixou todos os seus bens tais como roupas, livros e anotações pessoais para seu mentor e amigo no Actor´s Studio, Lee Strasberg. Durante décadas esse rico acervo ficou encaixotado e um tanto esquecido em um depósito de Nova Iorque. Provavelmente Strasberg não tenha compreendido as maravilhas que tinha em mãos. Há alguns anos finalmente parte do material foi levado para especialistas e historiadores. Foi então que descobriram um verdadeiro tesouro. No meio de pilhas de papéis avulsos encontraram muitas anotações de Marilyn. Pedaços de pensamentos, cartas, lembretes cotidianos, devaneios, delírios, sonhos e até agendas pessoais onde a musa escrevia sobre os mais diversos assuntos e temas, coisas que ela entendia ser importante registrar. Um registro ímpar que leva o leitor imediatamente para o mundo mais íntimo da estrela, permitindo que se possa compartilhar com ela muitas de suas impressões sobre as pessoas e o mundo ao seu redor. Assim como em sua vida cotidiana Marilyn se mostra uma pessoa bem bagunçada em seus registros. Não há uma sequência lógica, tudo vai surgindo ao acaso, o que acaba sendo um ponto positivo pois o leitor acaba se deparando com uma surpresa a cada página. Tudo finalmente foi reunido agora no ótimo livro "Fragments"!

O resultado é um livro de 272 páginas que mostra bastante da personalidade da atriz. A coleção de momentos é bem eclética. Há textos engraçados, assombrosos, confissões, medos, tudo junto em um grande mosaico. Em um deles ela diz que se acha homossexual, para  logo a seguir afirmar que tem pavor a lésbicas! Como se pode perceber era contraditória ao extremo, uma criançona mesmo. Cativante. Sua eterna insegurança como atriz e mulher surgem em vários textos como na frase que escreveu em data desconhecida:  "Tenho medo de fazer novos filmes porque talvez não tenha capacidade de fazê-los e as pessoas vão pensar que não sou uma boa atriz, vão rir ou, inclusive, vão pensar que não sei atuar." O curioso é que mesmo famosa e consagrada Marilyn jamais conseguiu se livrar completamente da pequenina Norma Jean que parecia não querer ir embora de sua vida. "Como posso interpretar uma menina tão feliz, juvenil e cheia de esperanças?" ela pergunta em certo momento! Ela se achava o exato oposto disso! Velhos traumas de infância que sempre pareciam lhe perseguir. O veredito pessoal sobre sua vida é de certa forma muito pessimista. Nesse ponto ela se mostra completamente quando escreve com grande sinceridade: "Só! Estou só. Sempre estou, aconteça o que acontecer". Mesmo com tantos amantes, namorados e maridos ela jamais conseguiu superar a terrível sensação de solidão que sempre a acompanhou. Assim em conclusão podemos afirmar sem receio que para os fãs de Marilyn Monroe o livro Fragments é simplesmente obrigatório. Um retrato dos pensamentos mais secretos de um dos maiores nomes da história do cinema americano. Não deixe de ler.

Marilyn Monroe Fragments
Autor: Marilyn Monroe
Editora: Harpercollins Uk
Categoria: Literatura Estrangeira / Biografias e Memórias

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

Um comentário: