quinta-feira, 25 de abril de 2013

Boeing Boeing

Muito divertida essa comédia "Boeing Boeing". Fiquei curioso em assistir após ler uma entrevista do Quentin Tarantino em que ele dizia que esse era um de seus filmes preferidos. Realmente vendo o filme dá para entender o porquê. "Boeing Boeing" é totalmente apoiado em diálogos e em situações inusitadas. Não há como negar também sua origem teatral. O filme é quase todo passado dentro do apartamento de Bernard (Tony Curtis) um jornalista que é noivo ao mesmo tempo de três aeromoças (uma francesa, uma inglesa e uma alemã). Assim ele tenta organizar sua agenda de forma que quando está com uma delas as outras estejam viajando pelo mundo. Não é difícil descobrir que o filme vai se apoiar na confusão que surge quando as três garotas chegam ao mesmo tempo em seu apartamento. A peça original escrita por Marc Camoletti teve inúmeras adaptações e montagens, inclusive no Brasil, e serve como boa amostra de um humor mais refinado, que ficou muito em voga na década de 1960.

Uma das coisas mais curiosas desse filme é a presença de Jerry Lewis. Aqui ele deixa seus personagens amalucados de lado para interpretar um jornalista amigo de Curtis que sem querer acaba parando no meio da confusão ao se hospedar no apartamento do amigo. Assim fica armada a confusão com muitos encontros e desencontros entre todos. Lewis está sóbrio em cena, cigarro na mão, geralmente fazendo charme. Pelo visto seus longos anos ao lado do amigo e ex-parceiro Dean Martin deram frutos pois em vários momentos, ao ver Jerry Lewis em cena aqui, me lembrei imediatamente de Martin. Quase uma paródia de seu jeito de ser para falar a verdade. Outro destaque do elenco que não poderia deixar passar em branco é a presença muito carismática de Thelma Ritter no papel de Bertha, a empregada de Tony Curtis, que se vê quase enlouquecida no meio do troca-troca de noivas, pois quando uma vai, a outra vem. O filme poderia até ser mais enxuto (um corte de uns bons 20 minutos ajudaria muito em seu ritmo) mas do jeito que está não ficou mal. O roteiro é esperto e ágil e não decepciona aos que gostam de peças teatrais de humor. Arrisque e veja "Boeing Boeing", você certamente terá bons momentos de humor para rir à vontade.


Boeing Boeing (Boeing 707 Boeing 707, EUA, 1965) Direção: John Rich / Roteiro: Edward Anhalt, baseado na peça de Marc Camoletti / Elenco:Tony Curtis, Jerry Lewis, Dany Saval, Thelma Ritter, Suzanna Leigh, Christiane Schmidtmer / Sinopse: Jornalista playboy (Tony Curtis) namora três aeromoças ao mesmo tempo. Contando com o fato de que sempre duas delas estão viajando enquanto ele se encontra com a terceira, seus planos vão por água abaixo quando de repente as três aparecem ao mesmo tempo em seu apartamento.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

4 comentários:

  1. Bem observado Pablo, ver o Jerry Lewis fazendo um galã é bem curioso. Acho que ele só faria esse tipo novamente em O Professor Aloprado, o Bud Love.

    ResponderExcluir
  2. O Bud Love era claramente uma sátira em cima de Dean Martin. Eu gosto desse estilo de interpretação do Jerry Lewis muito embora ele tenha ficado consagrado mesmo pelo seu outro estilo. Abraços, Pablo Aluísio.

    ResponderExcluir
  3. É Pablo, mas é bom ressaltar que o jeitão pernóstico e arrogante do Bud Love ele imitou o Frank Sinatra.

    ResponderExcluir
  4. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.8

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir