sexta-feira, 19 de julho de 2013

O Julgamento de Nuremberg

Após o fim da Segunda Guerra Mundial todos aqueles que de alguma forma colaboraram com o regime nazista de Adolf Hitler foram julgados na cidade de Nuremberg. Infelizmente os principais líderes nazistas conseguiram escapar dessa corte internacional se suicidando antes (Himmler, por exemplo, foi capturado mas se matou com cianureto em sua cela antes que pudesse enfrentar seu julgamento). Na verdade histórica não houve apenas um julgamento em Nuremberg mas vários, com muitos réus dos mais diversos setores da Alemanha nazista. Esse filme se concentra no julgamento de membros do poder judiciário (juizes em sua maioria) e promotores públicos que não apenas colaboraram com o nazismo como chancelaram leis e decretos do Reich completamente absurdos (como os que previam pena de morte para arianos que se envolvessem com não-arianos ou que traziam normas sobre esterilização dos indesejados ao regime como comunistas, doentes mentais, e membros de etnias consideradas inferiores pela doutrina nazista). No banco de réus se encontra justamente um dos maiores juristas do direito alemão, Dr. Ernst Janning (Burt Lancaster), homem culto, amante das artes e um autor e magistrado consagrado que a despeito de sua vasta cultura jurídica e humanista não hesitou em colaborar diretamente com os ideais de Hitler, inclusive enviando milhares de inocentes para campos de concentração do Terceiro Reich.

O roteiro do filme é primoroso, mostrando essa enorme contradição em que intelectuais e homens da mais fina cultura se tornavam meros instrumentos de morte para a máquina de extermínio nazista. O argumento também ousa perguntar até onde teria ido a responsabilidade do povo alemão como um todo pelos terríveis crimes de guerra promovidos pelos homens de Hitler. Isso é bem exemplificado pelos próprios réus no processo. Embora ocupassem altos cargos dentro do Reich todos negaram de forma incisiva que jamais souberam do que se passava dentro dos muros dos campos de extermínio. O juiz americano Dan Haywood, indicado para julgar esses criminosos de guerra, é magnificamente interpretado por Spencer Tracy. Seu personagem é um sujeito provinciano do interior dos EUA, que fica chocado com a extrema brutalidade que toma conhecimento durante os depoimentos de testemunhas. Não menos talentosos em cena estão Richard Widmark como o promotor, membro das forças armadas americanas e Maximilian Schell, interpretando o advogado de defesa. Elenco fabuloso que conta ainda com grandes atores dando vida às testemunhas do caso (com destaque para  Montgomery Clift como uma das vítimas da política nazista de pureza racial). O filme exige um certo comprometimento do espectador uma vez que sua duração ultrapassa as três horas, mas quem se propor a assistir a “O Julgamento de Nuremberg” será muito bem recompensado pois certamente se trata de uma obra prima da história do cinema.


O Julgamento de Nuremberg (Judgment at Nuremberg, EUA, 1961) Direção: Stanley Kramer / Roteiro: Abby Mann / Elenco: Spencer Tracy, Burt Lancaster, Richard Widmark, Maximilian Schell, Montgomery Clift, Judy Garland, William Shatner, Marlene Dietrich / Sinopse: O filme narra os acontecimentos que ocorreram durante um dos mais famosos julgamentos realizados na cidade de Nuremberg após o fim da Segunda Guerra. No banco dos réus juízes e promotores alemães que colaboraram com a política nazista de extermínio e esterilização de raças consideradas inferiores.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

4 comentários:

  1. Sensacional! Já faz muito tempo, eu vi esse filme, aliás, uma obra-prima! Não me lembrava mais do enredo ou história do filme, até porque, à época, eu não tinha a visão que eu tenho hoje da vida, mundo, guerras, e etc!
    Através dessa resenha, transportei-me para dentro da época em que essas coisas aconteceram, embora eu ainda 'felizmente' não tivesse nascido! É um relato poderoso e verdadeiro sobre terríveis acontecimentos que marcaram a história para todo o sempre!
    Parabéns Pablo Aluísio, por trazer à tona, momentos importantes narrados nesse magnífico filme!
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Agradeço a visita e os elogios Maria de Lourdes. Realmente "O Julgamento de Nuremberg" é um filme essencial para que não se esqueça dos crimes contra a humanidade que foram praticados pelos nazistas. O filme inclusive traz à tona diversas cenas reais captadas nos campos de concentração que são exibidas no tribunal. Um triste capítulo da história que não pode ser esquecido. Pablo Aluísio.

    ResponderExcluir
  3. Olá Pablo:
    Sim, concordo contigo quanto a esse "histórico" julgamento! Polêmico, contundente e visceral! Revi esse filme e realmente dói até nas entranhas, os relatos ali mencionados! Infelizmente, nos dias atuais, estamos vivendo uma era quase parecida com as atrocidades do nazismo. Senão, vejamos os noticiários do dia-a-dia! Absurdamente real, público e notório .. é só ligar a TV, ler os jornais ou navegar nas redes sociais e internet. Temos muitos Hitlers e ditadores "nazistas" esparramados por aí .., enfim .. assustador ..

    Por favor perdoe-me, mas somente agora eu vi o seu comment. Não fui notificada por e-mail ou "alertas de msgs" do Blog. Preciso "rever" minhas configurações do Google/G-mail e etc pois alguma coisa está errada! Quase 06 meses depois, é imperdoável isso .. rs rs. Por um acaso, "fuçando aqui e ali", achei a sua msg e de mais alguns outros amigos, os quais eu sigo via Blog! Me desculpe de novo ..
    Abração!

    ResponderExcluir
  4. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★★
    Cotação Geral: ★★★★
    Nota Geral: 8.4

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir