domingo, 4 de agosto de 2013

Ava Gardner: As Conversas Secretas

No final de sua vida, cheia de dívidas e com receio de perder suas economias e joias valiosas dadas por inúmeros amantes ao longo da vida a estrela Ava Gardner resolveu abrir o jogo. Contratou um ghostwriter e resolveu contar um pouco das histórias picantes de Hollywood que viveu nos chamados "Anos de Ouro" do cinema americano. Ava teve casos amorosos famosos com gente como Frank Sinatra (que era perdidamente apaixonado por ela), Mickey Rooney (seu primeiro marido) e Howard Hughes (o excêntrico bilionário americano). Em uma primeira versão Ava contava todos os detalhes, inclusive de alcova e não poupava praticamente ninguém. Frank Sinatra, por exemplo, era mostrado como um sujeito inconveniente, maníaco e desagradável, que logo perdeu o respeito de Ava por viver em seu pé, fazendo declarações de amor melosas e crises de choro quando era rejeitado por ela (que parece nunca ter gostado realmente do cantor). Mickey Rooney, o primeiro marido, também não escapa da língua venenosa de Ava. Ele é definido de modo impiedoso por ela como um "anão". Só alivia a barra do baixinho Rooney ao reconhecer que apesar da pouca altura era de fato um bom amante.

O pior sobra para Howard Hughes. Todos sabem que o famoso milionário tinha problemas mentais que ao longo dos anos o deixaram completamente louco e isolado em um quarto de hotel em Las Vegas. Quando se relacionou com Ava, Hughes ainda gostava de desfilar com beldades de cinema pelos salões mais exclusivos de Hollywood. No começo Ava se encantou com o novo namorado mas logo percebeu seus problemas de comportamento. Segundo suas memórias "Hughes era meio surdo e não falava muito e quando o fazia dava opiniões ofensivas, racistas e muitas vezes insuportáveis". Depois de uma briga violenta Ava jogou um pesado cinzeiro de metal na cara de Hughes que se não tivesse se abaixado a tempo teria sido atingido em cheio. Foi o fim do romance entre a estrela e o milionário. Já em relação a outros colegas Ava também não perdoa. Humphrey Bogart em sua opinião era um velho invejoso. Sempre preocupado com números teria ido à loucura ao saber que Ava ganharia 200 mil dólares para estrelar "A Condessa Descalça". Já sobre Liz Taylor, Ava é mais simpática. Chama a atriz de "a mais bonita de Hollywood". Mesmo assim não deixa de soltar algumas farpas ao dizer que "Liz passava mais tempo brigando com os donos de estúdio do que trabalhando".

O livro de memórias de Ava foi várias vezes arquivado. De tempos em tempos ela retomava o livro mas depois desistia e colocava na gaveta novamente. Depois da tantas idas e vindas até mesmo seu ghostwriter morreu. Ava então resolveu guardar todos os textos que ficaram inéditos até sua morte em 1990. Finalmente os responsáveis de seu espólio resolveram publicar todas as suas memórias que são de fato um dos mais ricos materiais escritos sobre os anos dourados de Hollywood. Afinal de contas o show não pode parar.

Pablo Aluísio. 

Um comentário: