terça-feira, 1 de outubro de 2013

Amar Foi Minha Ruína

Drama romântico ao velho estilo. Aqui temos uma trama trágica, embalada em uma espécie de novelão americano. Tudo começa quando em uma viagem de trem o escritor Richard Harland (Cornel Wilde) conhece a bonita e fina Ellen Berent (Gene Tierney). Curiosamente ela está lendo seu livro. Sem se identificar o autor acaba puxando conversa o que gera um flerte casual. Depois descobre que está indo passar o fim de semana no mesmo rancho para onde a bela mulher se dirige. O romance então se torna inevitável. O problema é que ela é noiva de um promotor público em ascensão (em ótima caracterização de Vincent Price, ator que se tornaria famoso por sua carreira em filmes de terror). Isso porém não impede o amor entre ambos que em pouco tempo decidem se casar! O casamento se mostra promissor. Eles realmente são apaixonados um pelo outro mas aos poucos a verdadeira personalidade de Ellen começa a se revelar. Ela é possessiva, obsessiva e muito perturbada. Logo imagina haver uma atração entre seu marido e sua irmã, embora de fato não haja nada entre os dois.

O pior acontece entre a bela amizade envolvendo Richard e seu irmão Danny (Darryl Hickman), um jovem deficiente físico que logo cai na antipatia de Ellen. Ela o vê como um obstáculo para a plena atenção que seu marido deve sempre lhe dar. Não demora muito e ela arma uma cilada terrível para o pobre cadeirante. Depois, tentando salvar o casamento, fica grávida, mas logo cria uma sinistra antipatia sobre seu próprio filho no ventre o que dará origem a uma decisão terrível. Os acontecimentos vão se sucedendo até o climax, brutal e desesperado. "Amar Foi Minha Ruína" não poupa o espectador. É de fato uma dramalhão pesado, com tintas escuras, que mostra o lado mais vil e perverso de certas pessoas. A personagem  Ellen é um símbolo disso. Mulher sem ética e qualquer valor humano, capaz das piores barbaridades para segurar um marido que já não a ama. A boa atuação da atriz Gene Tierney lhe valeu uma indicação ao Oscar. Apesar disso e da tensão constante em cada cena o filme é muito recomendado para quem deseja conhecer o cinema romântico americano da década de 1940. Outro ponto que conta muito a favor dessa adaptação é seu inegável valor nostálgico e vintage. Roupas, carros, costumes, cenários (grande parte das cenas foi rodada em um belo lago afastado) dá aquele sabor maravilhoso de nostalgia, mesmo que seja de uma época não vivida. Assim fica a indicação desse "Amar Foi Minha Ruína", um daqueles filmes antigos que não tinham vergonha de seu melodrama indisfarçável.


Amar Foi Minha Ruína (Leave Her to Heaven, EUA, 1945) Direção: John M. Stahl / Roteiro: Jo Swerling, baseado na obra de Ben Ames Williams / Elenco: Gene Tierney, Cornel Wilde, Jeanne Crain, Vincent Price / Sinopse: O filme narra o romance, o casamento e o desfecho trágico de um amor obsessivo.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

3 comentários:

  1. Um dos grandes melodramas da história do cinema.

    http://ofalcaomaltes.com/

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvida. Um filme ao velho estilo que ainda hoje conquista admiradores. Abraços, Pablo Aluísio.

    ResponderExcluir
  3. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 8.0

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir