sábado, 7 de dezembro de 2013

Quando Só o Coração Vê

Título no Brasil: Quando Só o Coração Vê
Título Original: A Patch of Blue
Ano de Produção: 1965
País: Estados Unidos
Estúdio: Metro-Goldwyn-Mayer
Direção: Guy Green
Roteiro: Guy Green, baseado na obra de Elizabeth Kata 
Elenco: Sidney Poitier, Shelley Winters, Elizabeth Hartman, Wallace Ford

Sinopse: Selina D'Arcey (Elizabeth Hartman) é um jovem garota cega muito oprimida que vive em um pequeno apartamento ao lado de sua mãe (Shelley Winters) e seu avô Ole Pa (Wallace Ford), que tem problemas de alcoolismo. A mãe é irascível, coleciona amantes e é dada a violências domésticas contra a própria filha. Uma megera desbocada, sem valores morais. Um péssimo exemplo. Já Selina é muito terna, sensível, amorosa, uma pessoa de grande coração. Sua vida de opressão e tristeza começa a mudar quando ela começa a passar as tardes em um parque próximo. Lá ela acaba conhecendo o simpático Gordon Ralfe (Sidney Poitier) que logo se torna seu grande amigo. Não demora a tardar e Selina começa a nutrir sentimentos românticos em relação a ele, afinal seu novo amigo é inteligente, agradável e uma ótima companhia. Seus sonhos de arranjar finalmente um namorado porém esbarram na mãe que fica chocada ao saber dos encontros pois Gordon é negro!

Comentários:
Esse filme foi um marco dentro do cinema americano. Em plenos anos 1960 ele ousou colocar na tela o romance entre uma jovem branca e um negro. O roteiro explora maravilhosamente bem essa situação mostrando como algo assim era extremamente chocante para os padrões morais da sociedade americana da época! O interessante é que se formos analisar bem o personagem de Selina, ela é deficiente visual justamente para que  pudesse avaliar Gordon apenas por sua personalidade, deixando de lado toda e qualquer visão preconceituosa sobre ele! Sem saber que se trata de um negro ela se apaixona apenas pelo que ele é realmente, por sua forma de ver o mundo e por suas qualidades internas como ser humano. Essa proposta torna o texto um primor de roteiro.

Aliás o filme é todo muito bem desenvolvido, com excelentes atuações tanto da parte de Sidney Poitier, como também de Shelley Winters e Elizabeth Hartman. Em torno de uma história relativamente simples o filme consegue discutir temas complexos como por exemplo a questão do relacionamento inter-racial, a maneira como a sociedade encara algo assim, o papel do deficiente físico e o racismo, ainda latente. Gordon é um bom rapaz, tem emprego fixo, é inteligente e articulado mas tudo isso parece ruir apenas pelo fato de ser negro. Selina inicialmente não sabe como ele de fato é, nem entende completamente porque não poderia se relacionar com uma pessoa de outra raça, mas aos poucos começa a compreender o preconceito racial em sua forma mais danosa e prejudicial. Em suma, um belo filme, que traz uma mensagem muito positiva sobre o problema racial e seus desdobramentos. Um filme essencial para quem estiver em busca de um entendimento maior da questão negra dentro dos Estados Unidos durante os anos 1960.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

Um comentário:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.8

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir