terça-feira, 1 de abril de 2014

À Sombra de um Gigante

Título no Brasil: À Sombra de um Gigante
Título Original: Cast a Giant Shadow
Ano de Produção: 1966
País: Estados Unidos
Estúdio: United Artists
Direção: Melville Shavelson
Roteiro: Melville Shavelson, baseado na obra de Ted Berkman
Elenco: Kirk Douglas, John Wayne, Yul Brynner, Frank Sinatra, Angie Dickinson

Sinopse:
Após o fim da segunda guerra mundial, o coronel David 'Mickey' Marcus (Kirk Douglas) volta para a vida civil. Advogado de formação ele retorna para seu escritório em Nova Iorque mas é logo procurado por um grupo de judeus que o querem na liderança das recém criadas forças armadas de Israel. O país criado em cima do território da Palestina é cercado por inimigos por todos os lados e Marcus precisa organizar um exército com os jovens idealistas que estão dispostos a lutar por Israel. Detalhe: eles não possuem qualquer treinamento militar.

Comentários:
Infelizmente não adianta ficar muito empolgado por causa dos nomes envolvidos. Obviamente para um cinéfilo, qualquer elenco que conte com Douglas, Brynner, Wayne e Sinatra já torna o filme obrigatório mas a verdade é que do ponto de vista cinematográfico "Cast a Giant Shadow" deixa muito a desejar. Na verdade essa produção não passa de uma longa e cara propaganda da causa judaica. Tudo bem defender um ponto de vista político mas apelar muito também desgasta o resultado final. Os judeus mostrados no filme são todos maravilhosos. O exército de Israel é retratado como um bando de jovens idealistas que dançavam e cantavam em animados encontros no meio da noite para no dia seguinte enfrentarem os exércitos dos povos árabes, vilões brutais sem alma. É tudo muito maniqueísta, beirando o humor involuntário. Outra coisa que me chamou a atenção é que o roteiro não abre nenhum espaço para os palestinos. Não há personagens palestinos no enredo e eles simplesmente nem são citados no roteiro! É como se o povo palestino não existisse naquelas terras. Nenhuma linha de diálogo cita a causa palestina, por exemplo. Uma coisa impressionante! Deixando os deslizes políticos de lado sobra pouco para quem estiver em busca de bom cinema. Os personagens de John Wayne e Frank Sinatra têm pouco espaço em cena. Kirk Douglas, como sempre se empenha em atuar bem, mas seu papel não tem nada a mostrar a não ser abraçar a todo momento a causa da criação do Estado de Israel. Assim, com intenção tão manipuladora, fica complicado mesmo gostar desse filme, apesar de todos os grandes atores que fazem parte de seu elenco.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

Um comentário:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.0

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir