sábado, 28 de fevereiro de 2015

Maria Antonieta

Título no Brasil: Maria Antonieta
Título Original: Marie Antoinette
Ano de Produção: 1938
País: Estados Unidos
Estúdio: Metro-Goldwyn-Mayer (MGM)
Direção: W.S. Van Dyke
Roteiro: Claudine West, Donald Ogden Stewart
Elenco: Norma Shearer, Tyrone Power, John Barrymore
  
Sinopse:
Marie Antoinette (1755-1793) é uma jovem princesa austríaca que é enviada para a França para se casar com o herdeiro do trono, Louis XVI. O casamento arranjado pelas duas monarquias logo se revela problemático por causa da personalidade infantil e boba do jovem príncipe francês. Para Marie Antoinette porém tudo é válido, até porque ela se tornará em breve a nova rainha da França, um dos títulos de nobreza mais cobiçados da Europa de seu tempo. Filme indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Atriz (Norma Shearer), Melhor Ator Coadjuvante (Robert Morley), Melhor Direção de Arte e Melhor Música (Herbert Stothart).

Comentários:
Drama histórico que foca a atenção na rainha Maria Antonieta (interpretada aqui pela bonita e talentosa atriz Norma Shearer, que inclusive foi indicada ao Oscar). A produção é luxuosa, com lindo figurino e filmagens realizadas no próprio Chateau de Versailles. Se tecnicamente se trata de um filme irrepreensível, o mesmo não se pode dizer de seu roteiro. Houve aqui uma clara manipulação da verdade histórica com o objetivo de tornar tudo mais interessante em termos dramáticos. A Marie Antoinette que surge na tela tem pouco em comum com a verdadeira rainha. No filme ela é apresentada como uma jovem e esfuziante princesa, de bom coração e muita alegria de viver - a ponto de romper com os rígidos protocolos de comportamento e etiqueta da época. Na verdade Antoinette era uma nobre austríaca muito fria, contida, reservada e calculista, como convinha com sua educação e casa nobiliárquica de origem. Pouco da personalidade dela se vê nessa romantização dos fatos históricos. O rei Luís XVI, que foi decapitado pelos revolucionários franceses, também não era tão boboca e infantil como se vê nesse roteiro. Exageraram certamente nas tintas. Curiosamente o elenco não traz nenhuma grande estrela de Hollywood, com exceção talvez do galã Tyrone Power no papel do conde Axel de Fersen. John Barrymore e sua figura imponente como o monarca Louis XV também ajudam bastante no resultado final. Então é isso, um filme bonito, bem produzido mas modesto em termos de fidelidade histórica. Vale como entretenimento com ares românticos, acima de tudo.

Pablo Aluísio.

Um comentário:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.7

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir