sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Galeria de Imagens: Rock Hudson / Elizabeth Taylor / Montgomery Clift


Rock Hudson
Foto promocional do ator Rock Hudson publicada em uma revista americana de grande circulação na época. Rock foi formado no departamento de artes da Universal. Esse estúdio providenciava tudo o que um futuro astro precisava aprender para se tornar um sucesso de bilheteria. Aulas de etiqueta social, de arte dramática, figurino e dicção. Rock assim foi formado pela Universal desde cedo para se tornar um astro. Naqueles tempos esse sistema era chamado de Star System e após o sucesso o ator, vinculado por contratos profissionais, se tornava exclusivo do grande estúdio que o formou. Era uma troca lucrativa, a companhia cinematográfica criava o astro e esse em troca se vinculava de forma fiel a ela. Rock cumpriu sua parte e só em fins dos anos 1960 deixou a Universal que tanto o ajudou em sua escalada rumo à fama.


Rock Hudson e a homossexualidade
Rock Hudson posa ao lado de uma jovem modelo em seus anos de glória em Hollywood. Rock era o galã dos sonhos nos anos 1950. Alto, bonitão, forte e muito simpático ele era o sonho de toda mulher americana na época. Só que Rock também guardava um grande segredo: ele era na verdade gay. Seus amigos estavam sempre tentando arrumar uma garota para Rock, mas isso nunca dava certo. Embaixo de uma postura completamente máscula, Rock se encontrava às escondidas com seus amantes masculinos. Para evitar fofocas, ainda mais depois que ficou muito famoso, ele se casou com Phyllis Gates que era secretária de seu agente, Henry Wilson. As coisas porém não deram certo como era de se prever e Rock se separou pouco tempo depois. Ela, por outro lado, pelo menos teve a honra de ter sido casada com o homem mais cobiçado da América.


Rock Hudson e o Cigarro
Rock foi um fumante inveterado durante toda a sua vida. Seu consumo médio era de duas a três carteiras de cigarro por dia. Na época - em plenos anos 1950 - fumar era uma coisa normal, vista até como algo charmoso e elegante. Só anos depois foi que se descobriu que o fumo poderia trazer grande mal para a saúde. Rock pagou o preço por seu vício. Teve problemas de coração que seu médico associou ao fumo exagerado, tendo que realizar uma complicada operação de safena. Mesmo assim não deixou o cigarro de lado. Sobre o fumo certa vez declarou: "Espero que os cientistas logo descubram que o fumo faz muito bem para a saúde, que a fumaça destrói todos os micróbios e germes pois só assim poderei fumar sem culpa". Rock jamais largou o cigarro e fumou até os últimos momentos de sua vida.


Os Olhos de Elizabeth Taylor
Liz tinha uma tonalidade muito rara em seus olhos. Na verdade eles eram da cor azul-turquesa que mesmo entre pessoas de olhos azuis é raríssimo. Em uma época em que a beleza era fator essencial para se construir uma carreira de futuro no cinema americano, Liz se destacou logo entre as candidatas ao estrelato. Na verdade ela foi atriz mirim, começando a trabalhar ainda muito cedo, na infância. Seus pais viam grande potencial no talento de Elizabeth e ela assim foi subindo os degraus da fama. Anos depois ela diria que se identificava de certo modo com a história de seu amigo Michael Jackson, que também trabalhou desde muito jovem, perdendo em parte as experiências da vida típicas da idade. Enquanto as demais crianças brincavam, eles estavam sendo pressionados para dar o melhor de si nos palcos e nas telas.


Elizabeth Taylor e Montgomery Clift  
Liz e Clift curtem uma pausa nas filmagens de "Um Lugar ao Sol". Foi nesse filme que nasceu uma bela amizade entre eles, algo que iria durar até o fim da vida de Clift. Até hoje essa relação é fruto de dúvidas dos autores que escreveram biografias sobre esses astros. Para muitos Monty tinha uma paixão platônica devastadora por Liz - a ponto de ter sido apaixonado em segredo por ela por anos e anos. Para outros o ator era gay e por isso não sentia maior atração pela atriz. Por fim há aquele grupo que defende que Montgomery Clift realmente nutria uma paixão verdadeira por Liz, embora ela fosse impossível por causa da natureza assexuada do ator. Quem tem razão? Não importa, eles sempre serão eternos nos filmes que fizeram juntos. Imortais na tela para sempre.

Pablo Aluísio.
 


Um comentário:

  1. Cinema Clássico
    Rock Hudson, Elizabeth Taylor, Montgomery Clift

    ResponderExcluir