sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Tyrone Power - Jamais Te Esquecerei

Recentemente assisti ao filme "Jamais Te Esquecerei". Se trata de uma produção de 1951 estrelada por Tyrone Power. Pelo poster, fotos e demais informações você começa a ver o filme pensando se tratar de um drama romântico como tantos outros que foram feitos por esse ator, um dos grandes galãs da era de ouro do cinema americano. Isso, pelo menos, é o que se daria a entender. Quando o filme começa descobrimos logo que o personagem de Power passa longe de ser um herói romântico ao velho estilo. Ao invés de cortejar damas e donzelas ele está em uma usina nuclear manipulando metais químicos perigosos. Ele é um cientista, um físico, que está convencido que dentro das dimensões em que existimos há uma maneira de romper o espaço / tempo para viajar entre passado, presente e futuro. Nessa altura do filme você já percebe que está longe de assistir a apenas um filme romântico mais tradicional. O personagem de Power inclusive não está muito interessado nos assuntos do coração.

O negócio dele é realmente a ciência. Ele vive em um mundo próprio, solitário. Apaixonado pelo passado, gostaria de quem sabe ir lá de alguma forma. Depois que encontra velhas cartas, supostamente escritas por ele mesmo, datadas do século XVI, ele se convence que uma viagem no tempo seria realmente possível, afinal de contas tudo levaria a crer que ele já estivera lá. Mas como fazer tal viagem? Certa noite voltando para a casa um raio o atinge e quando ele recobra a consciência está em Londres, ainda na época em que os Estados Unidos lutavam para se livrar do domínio do colonialismo inglês. Perceba que essa ideia de um raio se tornar um instrumento de viagem temporal seria aproveitada (ou copiada, quem sabe) pela trilogia "De Volta Para o Futuro", muitas décadas depois. Um aspecto curioso é que enquanto está no presente, o personagem de Power vive em um mundo em preto e branco, mas quando chega no passado tudo se torna colorido, cheio de vibração. E é justamente lá no passado que ele finalmente acaba se apaixonando, vivendo um grande amor por sua própria prima, uma mulher fina e elegante chamada Kate (Beatrice Campbell).

Claro que por viverem em tempos diferentes esse amor logo se torna algo impossível de se concretizar. Lembrando novamente "De Volta para o Futuro", imaginem a ruptura espacial que iria causar no tempo caso ele tivesse um filho com ela, já que na linha temporal ela seria na realidade apenas uma pessoa de seu passado distante. Certamente o roteirista Bob Gale, da franquia de Steven Spielberg, sabia da existência desse clássico. Os pontos de semelhança são muitos para se ignorar isso. O charme adicional é que "Jamais Te Esquecerei" foi filmado nos anos 1950, justamente a década em que os personagem do filme "De Volta Para o Futuro" retornam no primeiro filme da série. Realmente, no mundo do cinema nada se cria, tudo se recicla e se reaproveita. Velhas ideias esquecidas voltam à tona com embalagem de algo novo, inovador, mesmo que essa definitivamente não seja a inteira verdade.

Pablo Aluísio.

Um comentário: