sábado, 23 de janeiro de 2016

Charlton Heston e o Brasil

A primeira vez que o ator Charlton Heston ouviu falar do Brasil foi quando foi contratado para atuar na produção "Selva Nua" em 1953, onde interpretava um aventureiro que viajava até a Amazônia brasileira em busca de uma nova vida. Uma vez na América do Sul ele procurava "importar" uma mulher americana para ser sua esposa (interpretada pela atriz Eleanor Parker), mas tinha muitos problemas com ela quando finalmente chegava de viagem. Ele procurava por uma mulher virgem, mas logo descobria que ela era na verdade viúva, desapontando seus planos iniciais. Para promover o filme o estúdio então convidou a jornalista Dulce Damasceno de Brito para entrevistá-lo. Heston estava particularmente interessado nesse encontro porque poderia lhe trazer maiores conhecimentos sobre aquele país tropical distante, de natureza exuberante. Afinal Dulce era brasileira.

Logo que foi apresentado para Dulce o ator começou a lhe fazer várias perguntas sobre o Brasil, algumas sem o menor sentido, como se Dulce tivesse vindo direto da floresta para a entrevista (sendo que ela na verdade morava em São Paulo e não tinha a menor ideia do que ele estava falando). Como muitos americanos o ator achava que o Brasil era uma enorme floresta amazônica com pequenas povoações isoladas no meio da mata. O momento em que Dulce realmente caiu na gargalhada foi quando Heston lhe perguntou sobre as terríveis formigas gigantes assassinas brasileiras conhecidas como "Marabuntas". Era surreal demais para ser verdade. Educadamente Dulce lhe explicou que elas não existiam em São Paulo onde ela morava, até porque aquela era uma grande metrópole e não um vilarejo no meio da selva.

Algo que o próprio Charlton Heston teria oportunidade de conhecer alguns anos depois quando finalmente veio ao Brasil para as filmagens de "My Father", um filme com financiamento italiano que nunca chegou a ser lançado comercialmente em nosso país. Nesse período Heston ficou dois meses no Brasil filmando diversas cenas em São Paulo, Manaus e Belém do Pará. A diversidade de culturas, climas e fauna impressionou o ator que ao reencontrar Dulce novamente em São Paulo disparou: "O Brasil é o país mais bonito do mundo! Estou verdadeiramente impressionado!". Ele já havia estado por aqui em outra ocasião breve, nos anos 70, para promover o filme "SOS Submarino Nuclear", mas aquela havia sido uma curta estadia. Agora com chances maiores de visitar o país o ator ficou realmente surpreso com o país. Confessou a Dulce que só não entendia como um país tão grandioso como o Brasil não conseguia se tornar uma potência mundial - provavelmente Heston não conhecia a classe política brasileira!

De uma maneira ou outra ele e Dulce riram muito quando relembraram de seu primeiro encontro, ainda em Hollywood, quando Heston queria saber mais sobre as formigas gigantes brasileiras. Ele finalmente havia entendido o absurdo da situação. Como todo americano médio o ator não tinha a menor ideia do que significava o Brasil e seu tamanho continental. Ele que pensava que o Brasil não tinha nada além de florestas e mais florestas finalmente havia conhecido o lado urbano e mais desenvolvido do país, com suas grandes cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. Nunca é tarde demais para aprender um pouco mais de história e geografia, não é mesmo?

Pablo Aluísio.

3 comentários:

  1. Cinema Clássico - Pablo aluísio
    Charlton Heston e o Brasil

    ResponderExcluir
  2. Ahahahaha...Essa história é muito boa do Heston. Eu sinceramente não conhecia.

    ResponderExcluir