sábado, 9 de janeiro de 2016

Peanuts: A Garotinha Ruiva de Charles M. Schulz

Charles M. Schulz criou todos os personagens da turma do Charlie Brown, conhecidos nos Estados Unidos como "Peanuts" (no Brasil o próprio passou a ser chamado pelo apelido de Minduim). Nas tirinhas de sua imortal criação Charles mostrava a vida de um grupo de crianças, sendo seu protagonista justamente o tímido e desajeitado Charlie Brown, sempre sofrendo pelo amor platônico de uma linda garotinha ruiva que era sua vizinha e que estudava na mesma escola que ele. O que poucos sabem é que as estorinhas eram na realidade inspiradas na vida do próprio Schulz. Muito dos personagens retratavam pessoas e aspectos reais da sua vida particular, o que explicava em grande parte o grande humanismo e conteúdo emocional que elas traziam.

A garotinha ruiva, musa dos sonhos românticos do atrapalhado Charlie Brown, realmente existiu e quem de fato era loucamente apaixonado por ela era justamente Schulz, na época um talentoso desenhista que ainda sonhava com a possibilidade de viver de sua arte. Eles se conheceram numa escola de artes. Schulz, já maduro e relativamente bem sucedido, dava aulas. A garota ruiva se chamava Donna Mae Johnson e era encantadora. Colocando de lado todas as suas inibições Schulz então resolveu investir todas as suas fichas nela. Afinal ele estava apaixonado de verdade. Para sua felicidade as coisas começaram muito bem, com um encontro que o cartunista definiu como um desses momentos raros da vida. Era a realização de uma velha paixão que ele havia nutrido em silêncio por tanto tempo.

O começo promissor porém acabou mal. Schulz (que era tão tímido como seu famoso Charlie Brown) resolveu numa noite pedir a mão de Donna em casamento. Ele tinha muitos planos que queria compartilhar com ela. Sua carreira começava a deslanchar e ele viu que finalmente poderia assumir um compromisso mais sério em sua vida. A expectativa de algo grandioso porém teve vida curta. Contrariando tudo o que esperava dela a garota ruiva disse não ao seu pedido! Nem precisa dizer que o criador do Snoopy ficou completamente arrasado. A noite ficou na memória de Donna que anos depois contou tudo a um jornal americano (atualmente ela tem 86 anos e vive em um asilo na Pensilvânia). Ela até gostava do galanteador Schulz, mas tinha seu coração dividido com outro homem - que terminaria se casando com ela. Além disso em sua opinião Schulz havia se precipitado em sua opinião pois ela ainda era bem jovem e não queria entrar em um casamento precoce. Como se pode perceber não era apenas Charlie Brown que era atrapalhado e ansioso demais.

Isso o devastou. Obviamente Charles M. Schulz seguiu com sua vida em frente, casou-se com uma mulher dominadora (que daria origem inclusive à personagem mandona Lucy), mas jamais esqueceu Donna, levando ela para dentro das histórias em quadrinhos de Charlie Brown e sua turma. Nasceu assim a figura da garotinha ruiva, a mais perfeita paixão platônica jamais criada no mundo dos cartoons. Já perto da velhice certo dia Schulz resolveu ligar para sua velha paixão. No meio de um bate papo descontraído ele confidenciou a ela que criou a personagem como uma forma de imortalizá-la para sempre em suas tirinhas diárias, desenhos animados e filmes. A arte imitando a vida de uma maneira criativa e até mesmo lúcida e profundamente romântica.

Pablo Aluísio.

Um comentário:

  1. Cinema Clássico
    Peanuts: A Garotinha Ruiva de Charles M. Schulz
    Pablo Aluísio - Todos os Direitos Reservados.

    ResponderExcluir