segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

George Cukor, o diretor das estrelas

Um dos grandes cineastas da era de ouro do cinema clássico americano foi George Cukor. Além de brilhante diretor ele se notabilizou e ficou conhecido como o "Diretor da Estrelas". Essa denominação, muito justa aliás, lhe foi dada pela crítica por causa da extrema sensibilidade que Cukor demonstrava ao dirigir as grandes divas do cinema. Isso ficou bem claro quando dirigiu Marilyn Monroe no filme "Adorável Pecadora" de 1960. A atriz o escolheu pessoalmente por causa da indicação de colegas da profissão, uma vez que Cukor era extremamente compreensivo e gentil com os vários problemas que atingiam muitas delas, inclusive em sua vida particular.

Marilyn que tinha um longo histórico de brigas e confusões com diretores que havia trabalhado ao longo de sua carreira conseguiu ter uma perfeita sintonia com Cukor no set de filmagens. Isso aumentou sua produtividade e a intensa paciência do cineasta acabou ganhando ares de gratidão quando Marilyn resolveu pedir a volta de Cukor para dirigir aquele que seria seu último filme, "Something's Got to Give" que nunca seria concluído uma vez que Marilyn morreria de uma overdose de drogas acidental durante as filmagens. Na ocasião dizia-se nos corredores da Fox que apenas Cukor tinha a habilidade pessoal e a diplomacia necessárias para lidar com o terrível e complicado temperamento de La Monroe.

Outra deusa da sétima arte que teve um feliz (e breve encontro) profissional com George Cukor foi Vivien Leigh. Poucos sabem, mas Cukor foi o primeiro escolhido para dirigir o maior épico histórico de Hollywood na década de 1930, o clássico imortal "E O Vento Levou". Logo no começo das filmagens ele entendeu (de forma completamente certa) que a grande protagonista da fita seria a personagem  Scarlett O'Hara. Tudo o mais apenas giraria ao seu redor. Essa visão descontentou profundamente o astro Clark Gable que achava estar sendo colocado de lado por Cukor. Pressionado o estúdio acabou demitindo o mestre, porém seu legado ficou no filme a tal ponto que muitos creditam o Oscar dado a Leigh justamente pelas cenas que Cukor rodou com ela.

Cukor teve uma vida longa, só vindo a falecer com 83 anos de idade! Ao todo ele dirigiu 67 filmes, alguns considerados clássicos absolutos da história do cinema. Discreto, elegante e muito educado ele soube como poucos tirar o melhor das atrizes com quem trabalhou ao longo da vida. Foi indicado seis vezes ao Oscar, mas só foi premiado uma vez, por "My Fair Lady" de 1964, onde teve mais uma bela oportunidade de dirigir uma grande atriz, o símbolo máximo da elegância glamorosa, Audrey Hepburn. Mais coerente com o seu modo de ser e trabalhar do que isso, impossível.

Pablo Aluísio.

3 comentários:

  1. Cinema Clássico - Pablo Aluísio
    George Cukor, o diretor das estrelas

    ResponderExcluir
  2. Oi Pablo. Você escreveu que este diretor viveu 104 anos. Fiquei curioso para saber a data de nascimento e morte.
    Vasculhei a net aqui e apareceu a data de nascimento como sendo 07-07-1899 e a data de morte como sendo 24-01-1983. Assim sendo, o menino viveu 83 anos.
    Ou as biografias da net estão erradas, ou então terá de corrigir o número em seu texto.

    Abraços e fiquem todos com Deus.

    ResponderExcluir
  3. Essa informação eu tirei de uma matéria escrita pela jornalista Dulce Damasceno de Brito. Após realizar uma breve pesquisa pude constatar que ela realmente se equivocou. Obrigado pela retificação.

    ResponderExcluir