segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Paixão Proibida

Título no Brasil: Paixão Proibida
Título Original: Look Back in Anger
Ano de Produção: 1959
País: Inglaterra
Estúdio: Woodfall Film Productions
Direção: Tony Richardson
Roteiro: Nigel Kneale, John Osborne
Elenco: Richard Burton, Claire Bloom, Mary Ure, Edith Evans, Gary Raymond, Donald Pleasence, Jane Eccles
  
Sinopse:
Jimmy (Richard Burton) e Alison Porter (Mary Ure) estão casados há muitos anos. O relacionamento porém vai de mal a pior a cada dia. Todos os dias há discussões, brigas e ofensas. Jimmy é um sujeito irascível, desrespeitoso, abusivo e violento. A esposa Alison tenta manter o casamento em pé, mas isso vai ficando cada vez mais impossível. Seu marido odeia suas amizades, seu pai, suas origens, praticamente tudo o que diz respeito a ela. Para atingir a esposa ele usa uma linguagem forte, vulgar e bastante opressiva. Não parece haver mais diálogo entre ambos, mas apenas gritos e ofensas. Para piorar Alison está grávida, mas seu marido é tão insano que ela até mesmo reluta em lhe contar a notícia. Ao invés disso pensa em aborto. Seu único apoio é sua amiga Helena Charles (Claire Bloom), uma jovem atriz que resolve passar alguns dias ao seu lado. Ao conviver com o casal todos os dias acaba conhecendo a triste realidade de Alison, afundada em um casamento falido, abusivo e deprimente. Filme indicado ao Globo de Ouro e ao BAFTA Awards na categoria de Melhor Ator (Richard Burton).

Comentários:
Um casamento em ruínas é o tema desse drama inglês chamado "Paixão Proibida". O roteiro foi baseado na peça teatral escrita por John Osborne. Suas origens teatrais ficam óbvias desde a primeira cena. Quase toda a trama se passa dentro de um pequeno quarto e sala em Londres. O lugar é apertado, em cima da casa de uma senhora idosa que o alugou. É lá que vive o casal Porter. O marido Jimmy (Burton, em grande atuação) tenta sobreviver de alguma maneira. De noite passa pelas boates da cidade, tocando seu trompete, levantando alguns trocados. De dia trabalha como feirante numa barraquinha onde vende doces para as crianças. O dinheiro que ganha mal dá para a sobrevivência. Pior acontece dentro de casa. A esposa de Jimmy é uma jovem chamada Alison que todos os dias é humilhada e ofendida pelo marido. O seu pai quer que ela vá embora, mas ela resiste, tentando salvar um relacionamento falido e infeliz. Sua única amiga, a atriz Helena, chega para lhe trazer companhia e apoio, mas logo também vira alvo das ofensas e críticas mordazes de Jimmy. Desesperada por estar grávida, Alison resolve partir, indo morar com o pai e tudo desmorona depois ao saber que foi traída, justamente por alguém em quem confiava cegamente. Esse filme de certa maneira marcou o retorno de Richard Burton para o cinema inglês. Depois de ter atuado em filmes como "O Manto Sagrado" e "Ratos do Deserto" nos Estados Unidos, ele queria voltar para a Inglaterra para rodar um filme que o desafiasse como ator. A adaptação da peça "Look Back in Anger" pareceu ser aquilo que procurava. Havia muitas cenas perfeitas para que Burton desfilasse seu talento dramático. Além disso o elenco contava com ótimas atrizes que se mostraram escolhas certas para a proposta do roteiro. Burton aceitou trabalhar por um cachê bem menor do que recebia em Hollywood, só pela oportunidade de trabalhar no filme. Acabou sendo recompensado por isso, ganhando indicações para o Globo de Ouro e o BAFTA Awards, dois prêmios de muito prestígio. De fato é uma das grandes atuações de sua carreira, muito corajosa é bom frisar, pois seu personagem é em essência um homem desprezível, cheio de sentimentos e atitudes rudes, cruéis e vis. Na cena final ele ainda parece ter algum sentimento verdadeiro em seu coração, embora pareça ser tarde demais para abraçar sua redenção pessoal. O espectador certamente irá nutrir um grande sentimento de compaixão por Alison, sua esposa, pelo sofrimento pelo qual passa. A atriz Mary Ure que a interpreta também teve um fim trágico. Considerada uma das mais belas intérpretes do cinema britânico, a talentosa escocesa morreu de uma overdose acidental, ainda bastante jovem. No caso temos aqui um exemplo de como a vida pode ser tristemente parecida com a arte. Enfim, um belo drama com tintas fortes do clássico cinema britânico. Uma prova que em termos de qualidade a indústria cinematográfica de Londres não deixava muito mesmo a dever aos filmes de Hollywood da época.

Pablo Aluísio.

Um comentário:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★★
    Elenco: ★★★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★★★
    Cotação Geral: ★★★★★
    Nota Geral: 8.6

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir