quinta-feira, 27 de outubro de 2016

As Vidas de Marilyn Monroe - Parte 12

Marilyn Monroe realmente teve um caso amoroso com o presidente John Kennedy? Hoje em dia, depois de tantas biografias e livros publicados, grande parte deles baseados em pesquisas, entrevistas e relatos, não restam mais dúvidas que Marilyn e JFK mantiveram um longo affair que durou anos. John Kennedy era casado e Marilyn também. Por isso tudo foi escondido da imprensa e do público em geral. Com o tempo porém os boatos e fofocas foram se espalhando e o caso ficou até mesmo notório em Hollywood. Todo mundo sabia que Marilyn e JFK se encontravam quando o presidente visitava a costa oeste, porém nenhum jornalista era louco o bastante para publicar esse tipo de informação.

O interesse de Kennedy em Marilyn era antigo. Uma amiga próxima do presidente disse certa vez que ele mantinha um grande quadro de Marilyn em seu apartamento, isso antes de se casar com Jackie. Como todo homem da época, JFK também via Marilyn como um símbolo sexual e uma deusa da beleza. Quando conheceu Frank Sinatra uma das primeiras coisas que JFK quis saber do cantor era se ele conhecia Marilyn pessoalmente. Sinatra não apenas disse que sim como também prometeu ao presidente que iria marcar um encontro entre os dois. Tudo foi arranjado e JFK finalmente conseguiu seu tão sonhado encontro com Marilyn em um discreto restaurante de Los Angeles.

A partir daí o casal nunca deixou de se encontrar às escondidas. O problema é que eles tinham visões bem diferentes do que estava acontecendo naquele romance. John Kennedy queria sair com a garota do calendário, o símbolo sexual máximo da América. Era uma aventura sexual para ele, acima de tudo. Já Marilyn começou a criar uma fantasia na sua própria cabeça, acreditando que o católico presidente americano iria desfazer sua família para viver ao seu lado. No auge de seus delírios Marilyn confessou que estava pronta para ser a futura primeira dama dos Estados Unidos. Uma loucura sem base na realidade. Quando Kennedy descobriu que Marilyn estava tendo esse tipo de pensamento em relação a ele começou a cortar o contato com ela. Um escândalo dessa proporção acabaria certamente com sua carreira política.

O que JFK não sabia era que Marilyn tinha acessos de desequilíbrio. O presidente havia cometido o erro de dar a Marilyn seu número de seu telefone pessoal na Casa Branca! Com isso Marilyn começou a bombardear JFK com telefonemas inoportunos, constrangedores e embaraçosos! Como Kennedy iria justificar algo assim? Ele era um homem casado, pai de família e posava de marido ideal para a imprensa! Quem se aproveitou da história foi o chefe do FBI, J. Edgar Hoover. Ele mandou colar agentes em Marilyn. Ela passou a ser seguida sem saber. Também seus telefones foram grampeados. Hoover queria munição para usar contra o presidente e seu irmão Bobby. Eles queriam tirar Hoover do FBI, mas não conseguiriam pois o todo poderoso Hoover começou a juntar provas do caso entre Marilyn e JFK. Pior do que isso, o chefão do FBI descobriu que Marilyn estava se encontrando também com um conhecido mafioso de Nova Iorque, ou seja, o presidente dos Estados Unidos estava não apenas tendo um caso extraconjugal como também dividindo a mesma mulher com um infame criminoso! Era uma bomba que Hoover estava disposto a aproveitar.

Pablo Aluísio.

Um comentário:

  1. Cinema Clássico - Pablo Aluísio
    As Vidas de Marilyn Monroe - Parte 12
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir