quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

As Cartas de Grace Kelly - Parte 4

Grace Kelly continuou trabalhando como modelo e atriz. Sua primeira peça em Nova Iorque foi muito bem, o que a animou a procurar por outros trabalhos. Uma de suas promessas à família era tentar vencer apenas com seus esforços pessoais, com seu trabalho, sem a necessidade de pedir apoio a sua família aristocrática. E ela estava se saindo muito bem. Grace também não se descuidou dos estudos, ela continuou a levar muito à sério suas aulas de arte dramática.

Em 1950 surgiu um convite novo. Grace foi convidada para aparecer em um episódio da série de TV "Believe It or Not". Era uma experiência nova como atriz, já que até aquele momento ela só havia atuado no teatro, no palco. Será que se daria bem em frente às câmeras? Grace topou o desafio e apareceu no episódio intitulado "The Voice of Obsession".

Tão boa foi a experiência que logo depois surgiu outro convite, também para a TV, para atuar no programa "Actor's Studio". A ideia era muito boa: os jovens atores da famosa escola de arte dramática Actor's Studio em Nova Iorque iriam atuar numa série de adaptações para a TV de peças clássicas do teatro americano e inglês. A TV ainda era uma grande novidade na época e estava se tornando cada vez mais popular. Também abria um novo mercado de trabalho para os profissionais da arte de atuar. Nunca havia sido tão excitante ser ator ou atriz como naquela época de descobertas e novas oportunidades.

Grace Kelly foi então contratada para aparecer em três adaptações: "The Swan", "The Token" e "The Apple Tree". No primeiro acabou interpretando uma princesa russa chamada Alexandra, numa prévia do que iria acontecer em sua vida no futuro, onde ela própria iria se tornar uma princesa da vida real. A exibição desses programas era de costa a costa e seu talento e beleza chamaram a atenção dos estúdios de cinema em Hollywood. O cineasta Henry Hathaway telefonou imediatamente para os executivos da Twentieth Century Fox em Nova Iorque para que contratassem Grace! Ela era linda, talentosa e a pessoa certa para atuar em seu próximo filme "Fourteen Hours". A carreira de Grace Kelly no cinema estava prestes a começar...

Pablo Aluísio.

3 comentários:

  1. Cinema Clássico - Pablo Aluísio
    As Cartas de Grace Kelly - Parte 4
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir
  2. Se alguma humana puder merecer o título de deusa, essa é a Grace Kelly.

    ResponderExcluir
  3. O título da biografia de Marilyn Monroe é "A Deusa", mas concordo com você, a verdadeira deusa era a Grace Kelly.

    ResponderExcluir