quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Histórias de Rock Hudson - Parte 7

Após terminar o colegial Rock ficou meio perdido, sem saber o que fazer da vida. A oportunidade surgiu quando um amigo sugeriu que ele se alistasse na Marinha dos Estados Unidos. O salário era bom e para ele que não tinha nenhuma formação em nenhuma profissão poderia ser um saída. Rock porém não sabia que estava prestes a explodir um dos maiores conflitos armados da história, a Segunda Grande Guerra Mundial! Ele estava com 23 anos de idade quando o presidente Roosevelt informou ao país que os Estados Unidos estavam entrando na guerra! E nessa época Rock era um marinheiro de um navio da frota do Pacífico.

Realmente participar de algo assim mudaria sua vida. Os anos no mar, as tensões de trabalhar em um navio de guerra, tudo colaborou para que Rock voltasse da batalha como um outro homem. Quando Rock entrou na marinha ele era apenas um caipira tímido, que mal havia saído do seu bairro onde nasceu. Agora ele era um militar, um veterano de guerra, um marinheiro que conhecia vários lugares do mundo por onde seu destróier passou. Curiosamente os anos no Pacífico, em pleno auge da guerra contra o Japão, nunca foi dos assuntos mais corriqueiros para ele. Mesmo quando estava ao lado de grandes amigos, Rock evitava comentar sobre aqueles anos!

Muito se especulou sobre o que teria acontecido de verdade com Rock na guerra.  Ele costumava brincar, dizendo que havia passado quase toda a guerra descascando batatas no porão do navio, mas isso provavelmente era apenas uma pequena parte da verdade. O que Rock mais gostava de lembrar era a chegada de sua frota no porto de Los Angeles após longos anos no mar enfrentando os japoneses. Esse dia para Rock foi realmente inesquecível, a tal ponto que ele se lembrava inclusive da música que estava tocando para os marinheiros - curiosamente o último sucesso de Doris Day, cantora e atriz que se tornaria uma de suas parceiras em Hollywood!

Isso porém parecia tão distante quanto a Lua! Rock desembarcou em Los Angeles para lutar por um sonho. O seu navio iria até San Francisco, mas Rock desembargou antes. O que ele estaria planejando? Durante seus anos na marinha muitos colegas de farda disseram a ele que seu lugar era o cinema, pois ele parecia um galã de filmes românticos. O que começou como uma brincadeira porém tinha um fundo de verdade e Rock resolveu apostar nisso. Ele sabia que uma vez em Hollywood as portas dos estúdios iriam acabar se abrindo para ele! Claro havia muito o que fazer, inclusive estudar, mas Rock sabia em qual porta bater! Havia um departamento de treinamento nos estúdios Universal. Era para novatos. O lugar ideal para Rock Hudson começar sua carreira no cinema!

Pablo Aluísio.

5 comentários:

  1. Cinema Clássico - Pablo Aluísio
    História de Rock Hudson - Parte 7
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir
  2. Pablo, durante esse período misterioso do Rock Hudson na guerra é fácil saber o que aconteceu. Sabendo o que sabemos hoje, ele deve ter "comido" grande parte dos inimigos e com isso deve ter criado uma distração e consequentemente ajudado assim os aliados a vencerem definitivamente o conflito global. Pode não ser essa a verdade, mas que é a mais cinematográfica, e gayvertida, não há dúvida.

    ResponderExcluir
  3. Pois é... rsrs... por falar nisso não deixe de ver o novo filme do Mel Gibson que se passa justamente na guerra contra os japoneses, no Pacífico sul, onde o Rock também esteve, só que na Marinha.

    ResponderExcluir
  4. Verei sem dúvida; até porque só pelo fato do Mel ter enfrentado de frente os Judeus (Paixão de Cristo) ele já é meu herói. Custou caro, mas mostrou integridade.

    ResponderExcluir
  5. Desculpe o "enfrentado de frente", só vi o pleonasmo depois de publicar.

    ResponderExcluir