segunda-feira, 13 de março de 2017

James Dean O Mito Rebelde - Parte 4

E então James Dean resolveu largar a universidade. Foi uma decisão um tanto impulsiva, mas Dean parecia muito seguro de sua decisão. Ele estava decidido. Não haveria volta, Claro que o pai de Dean não gostou nada da ideia. Era absurda sob o seu ponto de vista. Além do mais como Dean iria viver dali para frente? Ele não tinha emprego, nem onde viver.

O relacionamento com o pai já estava ruim há tempos. Com a decisão de James Dean a coisa toda só piorou. Como Dean já era maior de idade, seu pai resolveu deixar para lá. Cada um é dono de seu próprio destino e cada um tem seu caminho. Agora Dean teria que se virar, procurar por seu próprio sustento.

Uma solução seria arranjar um emprego e um lugar para morar. Ele conseguiu as duas coisas com um amigo que também estava deixando a universidade. Eles alugaram um pequeno apartamento em Los Angeles e depois Dean conseguiu um emprego no estacionamento de um dos estúdios de cinema em Hollywood. Foi a primeira aproximação com a indústria cinematográfica. Claro, não era bem o que ele esperava, mas já era um começo, humilde começo, mas um começo.

Os dias de Dean como trabalhador no estacionamento não duraram muito. Ele se mostrou um funcionário indisciplinado, que passava o tempo todo ridicularizando seu próprio uniforme. Seu chefe não gostou nada das piadinhas e assim Dean foi logo demitido. "Aquele seu amigo, vou te contar!" - teria dito o chefe do estacionamento para o amigo de Dean. Sem grana e sem perspectiva ele procurou por alguma solução. Não demorou muito e logo Dean se viu sem ter nem o que almoçar, já que as prateleiras do pequeno apê estavam vazias. Até a luz do lugar acabou sendo cortada. Dean começou então a chamar amigos para irem até lá, para um jantar "a luz de velas" - como se fosse algo glamoroso e não falta de pagamento da conta de luz! No fundo a tática de Dean era que seus amigos trouxessem alguma comida para a noite - para assim ele também ter o que comer! A coisa toda acabou funcionando. Todas as noites James Dean tinha pelo menos comida para passar mais alguns dias.

Logo chegou uma ordem de despejo por falta de pagamento do aluguel. O que salvou Dean de virar um esfomeado morador de rua foi uma agente que conheceu nessa mesma semana. Ela acreditou em Dean e o contratou. Agora a agência de atores, modelos e atrizes iria se esforçar para arranjar algum papel para seu novo contratado. Não seria fácil, mas Dean tinha confiança. Se sua nova agente pudesse arranjar algum trabalho, mesmo que no teatro ou em comerciais de TV, já estaria de bom tamanho. E a sorte acabou batendo na porta de Dean. A Pepsi-Cola estava contratando jovens para aparecer em um de seus comerciais televisivos. Os candidatos teriam que dançar e depois tomar uma Pepsi na frente de um jukebox! Dean passou no teste e assim conseguiu seu primeiro pagamento, seu primeiro cachê! A primeira coisa que fez foi ir ao mercado para comprar comida! Passar fome em Los Angeles não fazia bem parte de seus sonhos de um dia virar ator...

Pablo Aluísio.

5 comentários:

  1. Cinema Clássico - Pablo Aluísio
    James Dean O Mito Rebelde - Parte 4
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir
  2. Com dificuldades deste nível não é a toa que muitos atores e atrizes se prostituam para permanecer tentando essa carreira. Acho que o que importa neste período é ter muita sorte, porque talento só vai fazer grande diferença quando já estiver estabelecido.
    É de dar pena esse relato que você faz desta fase da vida do grande James Dean.

    ResponderExcluir
  3. O James Dean passou por um período barra pesada mesmo. Sem grana, sem emprego, sem muito futuro. Hoje em dia chamam isso de "insegurança alimentar", na época do Dean era conhecida como fome mesmo.

    ResponderExcluir
  4. "insegurança alimentar" Meu Deus, eufemismo pra fome. Que época é essa?

    ResponderExcluir
  5. Ecos da obsessão politicamente correto... onde as palavras são consideradas melindrosas, que ofendem e machucam...

    ResponderExcluir