quinta-feira, 11 de maio de 2017

As Vidas de Marilyn Monroe - Parte 17

Há bastante semelhança entre as carreiras de Marilyn Monroe e Grace Kelly. Ambas começaram como modelos, mas tinham desejo mesmo de se tornarem atrizes. Quando o primeiro marido de Marilyn saiu para uma longa viagem (ele era marinheiro da marinha mercante), Marilyn decidiu terminar seu casamento. Ela tinha muitos sonhos e não estava mais disposta a sacrificar sua vida sendo apenas uma dona de casa. Ela escreveu uma carta para o marido, colocou sua aliança dentro e deu adeus para a vida de jovem senhora.

Depois disso colocou todas as suas roupas numa mala e pegou o primeiro ônibus para Los Angeles. Marilyn queria ser estrela em Hollywood, igual a Lana Turner, que ela admirava. Depois de fazer vários ensaios como modelo fotográfica de revistas da moda, Marilyn finalmente conseguiu sua grande chance em um novo filme da Columbia Pictures. Embora seu destino estivesse totalmente ligado à Fox, Marilyn surgiu pela primeira vez numa tela de cinema em uma produção da Columbia.

Não foi uma grande estreia. Marilyn Monroe recebeu 125 dólares (uma quantia irrisória) para apenas passar andando na frente da câmera. O filme se chamava "Idade Perigosa". O ano era 1947. Em pleno período do pós-guerra, Marilyn mostrava que não havia nada de errado em ser bonita, loira e insinuante. Ela era basicamente uma pin-up, uma garota do calendário, daquelas que tiravam fotos em poses sensuais para serem vendidas para os soldados americanos que lutavam no exterior. Embora não fosse grande coisa, sua personagem nem nome tinha, o fato é que aparecer no cinema já era a realização de um sonho para a jovem Norma Jean. Quem diria... Logo ela que tanto sonhava ser uma estrela de Hollywood, agora aparecia finalmente em um filme!

Marilyn costumava dizer que ela havia sido picada pela febre da vontade de se tornar uma artista com esse seu primeiro filme. Ela estava disposta a não parar nunca mais! Um ano depois ela teve outra chance. O filme se chamava "Nasceste Para Mim". Se o primeiro filme era um drama, sem muitas possibilidades para Marilyn chamar mais atenção, esse seu segundo filme era um musical romântico bem divertido, com muitas canções e cenas de dança (como era comum nos musicais da época, obviamente inspirados nas peças da Broadway). O roteiro se passava nos anos 1920 e mostrava parte da vida do bandleader Chuck Arnold. Um filme muito promissor, porém grande parte da participação de Marilyn acabou sendo cortada na sala de edição. Isso porém não atrapalhava suas ambições. Ela sabia que mais cedo ou mais tarde iria ter a grande chance que tanto esperava.

Pablo Aluísio.

3 comentários:

  1. Cinema Clássico - Pablo Aluísio
    As Vidas de Marilyn Monroe - Parte 17
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir
  2. Que coisa fabulosa: uma mulher sair por vontade própria de uma vida de dona de casa, que era o sonho da maior parte das mulheres da época, se aventurar em uma cidade grande e sórdida para ser artista e se tornar a maior estrela do mundo de todos os tempos. Realmente incrível!

    ResponderExcluir
  3. Certa vez a Marilyn disse: "Eu consegui realizar meus sonhos porque eu sonhei com mais força do que as outras pessoas!"

    E ainda dizem que ela era apenas uma loira burra! Nada mais longe da verdade...

    ResponderExcluir