segunda-feira, 22 de maio de 2017

O Humor de Jerry Lewis - Parte 1

Sem exageros, Jerry Lewis foi certamente um dos humoristas mais populares e queridos do cinema americano. O curioso é perceber que sua ida para as telas foi quase um acaso do destino. Jerry era comediante de palco, fazia apresentações em hotéis, cassinos e restaurantes. Sua grande sacada foi se unir ao cantor Dean Martin. Jerry interpretava o pateta da dupla, enquanto seu colega era o galã, o conquistador. Desse choque de diferenças nascia a maioria das situações de humor.

A fórmula deu tão certa que a dupla foi convidada pelo produtor Hal Wallis (de "Casablanca") para aparecer no filme "A Amiga da Onça" (My Friend Irma, 1949). Era uma comédia romântica bem bobinha (mas igualmente divertida) estrelada pela atriz Diana Lynn. Era verdade que não havia muito espaço dentro do roteiro para Martin e Lewis, mas isso acabou se revelando uma vantagem e não um problema. Isso porque nas poucas cenas que tiveram para mostrar seu trabalho eles conseguiram se destacar. Mais do que isso, muitos críticos foram além, dizendo que eles tinham roubado o show, o filme, só para si.

Havia ficado meio óbvio para Hal Wallis e os executivos da Paramount Pictures que ali poderia haver uma grande oportunidade de ganhos e lucros. Afinal muitas duplas cômicas tinham feito sucesso antes no cinema como, por exemplo, O Gordo e o Magro e Abbott & Costello. Curiosamente Wallis também logo percebeu que a cabeça pensante da dupla não era Dean Martin, como muitos poderiam pensar. O verdadeiro talento para negociar contratos e impor cláusulas e condições para novos filmes vinha de Jerry Lewis. Basicamente ele havia criado aquele número e não estava disposto a abrir mão do controle artístico dos filmes em que iria atuar.

No começo Jerry Lewis abriu espaço para vários diretores, mas depois de um tempo ele mesmo assumiu a direção dos filmes, aumentando seu controle sobre tudo. Dean Martin era um sujeito bem cool, que parecia não se importar e nem se preocupar muito. Para ele o importante era que a dupla estava fazendo cinema em Hollywood, ganhando bem e com enorme potencial de sucesso nos anos que viriam. Era um sonho realizado. Já Lewis não era tão tranquilo assim. Mesmo no começo da carreira ele fazia questão de discutir os roteiros dos filmes com os diretores, sempre colocando "cacos" em sua interpretação. Nesses primeiros filmes ele ainda não havia mostrado toda a sua sede de controle, mas era apenas questão de tempo para tudo isso acontecer.

Pablo Aluísio.

6 comentários:

  1. Cinema Clássico - Pablo Aluísio
    O Humor de Jerry Lewis
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir
  2. Quando o Frank Sinatra viu a dupla Martin Lewis imediatamente disse: "o judeuzinho é um gênio, mas o carcamano é um pateta"

    ResponderExcluir
  3. De bobo o Jerry Lewis só tinha seu personagem. Na realidade ele era um esperto homem de negócios.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. E apesar de, no filmes, aparentar ser pequeno e franzino tinha impressionantes 1,83 mts. de altura, ou seja, 4 centímetros a mais que os 1,79 mts. do Dean Martin. Deu pra sentir o quanto o Jerry Lewis era um bom ator?

    ResponderExcluir
  6. Joseph Levitch era o nome real do Jerry Lewis. Judeu de nascimento, apesar de nunca ter ligado muito para a sua religião ao longo de sua vida. E sim, todo grande comediante é também um grande ator, embora poucos tenham sido premiados com o Oscar. Há um preconceito antigo sobre isso dentro da Academia.

    ResponderExcluir