quinta-feira, 13 de julho de 2017

O Vale dos Reis

Foi denominado de "vale dos reis" a região no Egito onde os faraós começaram a ser enterrados. Isso se deu pelo grande número de roubos que aconteceram na antiguidade nas grandes pirâmides. Para fugir da ganância dos ladrões de tumbas os faraós começaram a construir suas tumbas nas areias do deserto, em regiões de complicado acesso. A grande maioria dessas tumbas estão localizadas justamente nesse vale dos reis. Infelizmente para os monarcas do antigo Egito essa mudança de estratégia não deu muito certo, porque os roubos continuaram ao longo dos séculos.

Passados milênios é nesse vale dos reis que ganha a vida o explorador Mark Brandon (Robert Taylor). Ele sabe que essas tumbas antigas possuem tesouros fabulosos. Durante uma de suas escavações ele recebe a visita da americana Ann Barclay Mercedes (Eleanor Parker). Filha de um grande pesquisador falecido, ela quer descobrir vestígios arqueológicos que provem a existência histórica de José, um patriarca judeu que viveu no antigo Egito. Assim convida Mark para se juntar a ela nessa pesquisa. O principal ponto seria descobrir a tumba de um faraó chamado Ra Hotep, que teria reinado exatamente na época de José, se tornando o primeiro imperador do antigo Egito a acreditar apenas em um só Deus! Seria ele assim um dos pilares do monoteísmo que iria se espalhar pelo mundo nos séculos seguintes.

Esse é um bom filme de aventuras ao velho estilo. Pode ser considerado até mesmo um antepassado remoto dos filmes de Indiana Jones. Certamente Steven Spielberg e George Lucas tiraram elementos desse "O Vale dos Reis" para criar seu famoso personagem. O interessante é que esse tema era até bem explorado por seriados de aventuras da época, mas não com a pretensa seriedade dessa produção. Tudo é levado muito à sério, embora o roteiro tenha sim alguns deslizes históricos em nome da diversão. No elenco temos o galã Robert Taylor. Ele não era um grande ator, mas até que saiu muito bem aqui. A mocinha interpretada por Eleanor Parker dá mais elementos para dramaticidade, já que seu próprio marido é o vilão da história, um contrabandista de artefatos históricos. Por fim o grande destaque de "O Vale dos Reis" é a sua bonita fotografia (assinada por Robert Surtees), com tomadas filmadas no próprio Egito, no Cairo e nos templos de Luxor. Visualmente o filme é muito bonito, com excelentes sequências, inclusive uma de luta no topo das estátuas de Ramsés II que são de tirar o fôlego, mesmo para os padrões atuais.

O Vale dos Reis (Valley of the Kings, Estados Unidos, 1954) Direção: Robert Pirosh / Roteiro: Robert Pirosh, com informações históricas retiradas do livro "Gods, Graves and Scholars" de  C.W. Ceram / Elenco: Robert Taylor, Eleanor Parker, Carlos Thompson / Sinopse: Ann Barclay Mercedes (Eleanor Parker) é a filha de um renomado pesquisador do antigo Egito, já falecido, que contrata os serviços do escavador de tumbas Mark Brandon (Robert Taylor). Ela quer encontrar a tumba do faraó que reinou durante a vida de José, um judeu citado nas escrituras, no velho testamento. Para alcançar seus objetivos porém ela terá que enfrentar criminosos, contrabandistas e ladrões de tumbas, incluindo seu próprio marido, Philip Mercedes (Carlos Thompson), que só pensa em ganhar dinheiro com os tesouros que vierem a ser descobertos.

Pablo Aluísio.

Um comentário:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.7

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir